ENTREVISTAS

Nas ondas com Aninha. Conheça as histórias de umas das maiores atletas do RN.

FullSizeRender (1)
Você foi uma das pioneiras no estado. Como foi viver aquela época de
ouro do bodyboard? 
Morava em Ponta Negra, (berço do surf e body board do RN) o que naturalmente me levou a praticar o esporte. Assim como eu, muitos outros nomes como Raquel Macedo,Patrícia Brasil, Gustavo Pirata, Charles Nóbrega, Paulo André , Wagner Vasconcelos, George Costa, Sanderson, Magoo  e outros tantos também que moravam em bairros adjascentes,  como Capim Macio; Neildo, Marjorie Leão, Maria Teresa,  tivemos o privilégio de vivenciar essa época maravilhosa do Body Board tanto aqui no Estado como no cenário brasileiro e mundial.
Qual campeonato que participou ou momento que considera mais
importante?
Quando competia, participei de algumas etapas do campeonato brasileiro realizadas aqui no Nordeste. A mais importante e marcante  para mim foi a realizada na Praia do Futuro (CE) onde os potiguares conseguiram resultados expressivos. Com o apoio de João Carvalho, (leia-se Opeste, equipe que era integrante na época) conseguimos conquistar o 3o lugar ficando atrás apenas das cariocas irmãs Nogueira (Isabela e Mariana)
Qual sua praia preferida para surfar?
Nossa, difícil!…
Tabatinga e Rio doce pela constância, Shore Break pela força e onda tubular diferenciada e Pipa, mas Ponta Negra ( e adjacências) sempre! rs
Manobra que acha mais irada?
360 aéreo. Estético e limpo!
Você já se viveu alguma situação inusitada quando estava surfando?
Sim algumas!
Mas a que mais me marcou,  foi em Noronha. Enquanto remava do Boldró para Pipe (pico do lado), fui acompanhada por um cardume de golfinhos.
Acho que tinha pelo menos uns 12! “Nadaram” comigo por um tempo, depois seguiram…
Acho que o colorido da prancha e dos pés-de-pato os atraíram.
Vou guardar para sempre  a imagem e emoção!
Tremia o corpo todo…rs
Como foi vencer a Isabela Nogueira?
Então… Aconteceu na etapa do brasileiro na Praia do Futuro, a qual falei anteriormente. Caímos juntas nas quartas de final.
 O mar estava muito grande, muito vento também. Como as condições da Praia do futuro lembravam as que tínhamos em Tabatinga anteriormente me senti em casa…Estava bem preparada fisicamente.  Meu patrocinador na época , a  Opeste (João Carvalho)disponibilizava um técnico (Alan) para treinamento dentro e fora d’água. Fui com sangue nos olhos pra cima dela! kkkk Garanti o primeiro lugar na bateria.
A final foi  contra ela e Mariana, mas infelizmente acabei cometendo interferência em Isabela, daí fiquei em 3o lugar.
Como você define o surf?
Adoro esportes.
O surf consegue aliar algumas das coisas que mais gosto; exercício físico, o contato com o mar, vento e sol que me proporcionam sempre uma sensação de paz indescritível.
Seja pegando onda, remando no Sup, mergulhando, nadando…Estar no mar é estar em paz!
Falando de surf, quais são os as pessoas que te inspiram no esporte?
Achava o estilo tanto de Isabela quanto o de Mariana Nogueira lindíssimos!
Atualmente entre as meninas, destaco Isabela Souza (CE) e Jéssica Becker(RJ).
Mas ídolo mesmo sempre foi Guilherme Tâmega.

Uma dica para as meninas que sonham em surfar em alto nível?
Se dedicar tanto dentro quanto fora d’água. A condicionamento físico é condição primordial para a fluidez e  execução de manobras. Além de buscar foco e equilíbrio nos momentos de tensão em competições.
Cite alguns nomes locais que você acha que tiveram importância para o  crescimento do esporte no RN.
Gustavo de Macedo (ou Gustavo Pirata) fundador da ABBERN(Associação de Body Board do Estado do Rio Grande do Norte) é o nome do Body Board do RN.
Além dele, alguns empresários apoiaram bastante como patrocinadores do esporte na época, João Carvalho (Opeste) e Gerson Antunes foram alguns deles.
Palpites para Liga Master desse ano. Quais as suas apostas?
A Liga Master é a boa nova do Body Board no RN.
Os meninos ressuscitaram as competições além de estarem com surf de alto nível!  Fico muito feliz de ver novamente a união dos atletas , a vontade de fazer o esporte explodir outra vez, a organização, vontade de acertar enfim, faz nascer novamente o espírito de competição que estava adormecido.
Por tudo isso, além de apostar, acredito muito na Liga Master. Acredito que tem lugar para todas as categorias. Temos novos (e bons) atletas de todas as idades.

MATÉRIAS