Wavegarden Cove será construída em Garopaba

A atração fica na Surfland Brasil, condomínio em regime de Multipropriedade, onde compartilhamento é palavra-chave

Não é um resort, mas pode ser. Não é um condomínio, mas pode ser. Não é um hotel, mas pode ser. Não é um parque de esportes e nem uma comunidade de vida solar, mas pode ser. Tem tudo o que tem nestes lugares, mas é muito mais do que isso: Surfland Brasil é um pedaço de paraíso encravado em Garopaba, uma das praias mais lindas do país, e onde em breve a onda perfeita passa a existir para sempre.
O que mais impacta é a onda: são 150 metros perfeitamente surfáveis, até 16 segundos surfando sem parar, em sete tipos de ondas diferentes, que chegam a até 1,90 metro. E dá até pra cansar: é uma onda a cada 4 segundos, são 900 ondas perfeitas por hora, 450 direitas; 450 esquerdas. Não é pouco, né? Tudo isso numa piscina de 25 mil m2 – na comparação, equivale a cerca de 20 piscinas olímpicas. A tecnologia, que nas palavras do big rider multi campeão Carlos Burle reproduz a onda perfeita, foi desenvolvida pela empresa Wavegarden, que fará todo o acompanhamento e instalação da Wavegarden Cove 2.0 em Garopaba. No mundo já existem duas em funcionamento, na Inglaterra e na Espanha, além de 20 em andamento. A previsão é que tudo esteja em funcionamento em cerca de 4 anos.


Mas a Surfland Brasil, Garopaba é muito mais que uma onda: é o paraíso pra quem curte a vida ao ar livre e quer ter férias num dos lugares mais especiais do mundo do surfe. Toda a concepção do local foi pensada tendo o meio ambiente como foco principal, gerando o menor impacto possível: telhados verdes, painéis para aquecimento solar de água, captação de água da chuva, plantio de árvores nativas. Projeto inteligente e racional em todas as interações com a natureza.
“Além disso vamos gerar centenas de empregos, valorizando a mão de obra local”, explica Luciano Faraco, diretor comercial da Surfland Brasil, Garopaba. “E vamos inovar também no formato e comercialização do produto, que será oferecido em sistema de Multipropriedade, o que vai ao encontro da economia compartilhada, uma tendência que chegou para ficar”, completa.


Assim como no Air BnB, Uber e Bike Share, na Surfland Brasil, Garopaba os proprietários compartilham seus bens, com isso também dividem os custos e todos saem ganhando. O sistema de Multipropriedade – Lei no 13.777/18, sancionada pelo então presidente Michel Temer em dezembro do ano passado – regulamenta o uso compartilhado de imóveis. De acordo com a norma, a propriedade compartilhada é o regime de condomínio em que cada um dos proprietários de um mesmo imóvel é titular de uma fração de tempo. Em resumo: férias, patrimônio imobiliário vitalício, com escritura do imóvel em seu nome, num investimento mais barato para comprar e fácil de manter.


Cada proprietário tem direito ao imóvel durante 14 dias, em duas etapas de 7, em momentos alternados. A estadia dá direito a uma sessão diária de surfe no reef, outra no bay e a prioridade de comprar mais uma sessão por dia em cada uma delas. Mas além da onda, há o skate, com skatepark desenhado pelo campeão Pedro Barros. Piscinas, quadras de tênis, beach tênis, museu do surfe, restaurantes, pista de corrida, academia, yoga, espaço de meditação, spa, espaço kids: alternativas para todos os gostos e idades.


Muita gente já está comprando essa ideia, e entre os embaixadores da Surfland Brasil, Garopaba, por exemplo, estão feras do surfe, do skate e da qualidade de vida, nomes como Gabriel Medina, Pedro Barros, Flávio Canto, Carlos Burle, Teco Padaratz, Renan Rocha, Everaldo Pato e Fabio Gouveia.
É muito mais que uma onda, é um estilo de vida. É uma segunda moradia compartilhada, na qual a onda é somente a ancoragem de tudo. “Estamos projetando um empreendimento imobiliário que une tecnologia, entretenimento e qualidade de vida”, explica André Giesta, sócio da Surfland Brasil, Garopaba e fundador da Giesta Empreendimentos Imobiliários, uma das maiores empresas do segmento em Santa Catarina, responsável pela construção do local. “Vamos construir o maior centro de surfe, alegre e diversão do Brasil”, sentencia.


E agora com o recebimento do Registro de Incorporação, a Surfland Brasil está oficialmente lançado no mercado e inicia seu processo de comercialização.

ALGUNS NÚMEROS DA SURFLAND BRASIL, GAROPABA

Área

Terreno 464 mil m2
300 mil m2 de área preservada


Pessoas

Cerca de 200 empregos locais/mês, quantidade que ser multiplicada por 5 no pico da obra
Expectativa 1,5 mil pessoas dia no empreendimento
17 operações entre gastronomia e lazer
7 prédios horizontais com nomes de praias em Garopaba – Ferrugem, Rosa, Vermelha, Silveira, Siriú, Ouvidor e Barra


Investimento na fração do imóvel

1o andar – 15% de sinal dividido em 3 vezes mais 57 parcelas de R$ 1.267,00
2o andar com terraço – 15% de sinal dividido em 3 vezes mais 57 parcelas de R$ 1.709,00

Assessoria de Imprensa
@navecomunica